DICAS DE FOZ

Exposição da Itaipu Natureza no JL é MARA

19.06.2019

0
0
0
0
0
0

Fui conferir a exposição Itaipu Natureza que está acontecendo no Shopping JL e tenho que compartilhar com vocês tudo de MARAVILHOSA que ela é. Desde janeiro a exposição está em andamento mas ele tem dia pra acabar: e agora em julho é sua última oportunidade de conferir o espaço montado no Shopping JL Cataratas em Foz do Iguaçu.

 

 

 

A exposição conta com diferentes espaços representando nossos diferentes biomas, onde podemos observar o visual da vegetação local e vários dos animais que habitam a região. O mais incrível é que os animais são de verdade … mas calma, eles não estão vivos. São animais taxidermizados, ou seja, eles foram empalhados.

A taxidermia é uma técnica que visa manter as formas do animal para fins tanto de exibição como de estudo. Animais taxidermizados podem servir tanto como ferramentas de educação ambiental como material didático.

São mais de 300 animais expostos nos diferentes biomas brasileiro: Amazônia, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica, Pampas e Caatinga. E calma, porque ninguém fez nenhuma maldade pra montar uma exposição … como vocês sabem nós temos aqui em Foz um berço que preza pela preservação da natureza acima de tudo.

 

 

Esses animais foram taxidermizados ao longo dos anos pelo Professor João Galdino. Este senhor passou décadas da sua vida dedicados à arte da taxidermia e já taxidermizou mais de 7 mil animais. Ele é um especialista no assunto e costuma utilizar animais já mortos, que tenham morrido em zoologicos, ou mesmo que tenham morrido na natureza seja por causas naturais, ou atropelados por exemplo.

 

Emapalhar é a mesma coisa que taxidermizar ?

 

Não exatamente. O termo empalhar é mais antigo pois no passado quando se desejava conservar o animal, costumava-se retirar a parte interna e substituir seja por palha mesmo por barro muitas vezes. Mas atualmente a técnica evoluiu, e se utilizam manequins de poliuretano que possuem toda a anatomia do animal. Até mesmo os olhos, ou outras partes do animal como caudas, nariz, etc, são próteses que muitas vezes são importadas.

O Sr Galdino mesmo muitas vezes utiliza próteses oculares vindas da Alemanha para utilizar nos seus animais taxidermizados.

 

Como reuniram tantos animais ?

 

Ao longo do tempo o Professor Galdino foi ganhando reputação na área da taxidermia e quando um animal morria em algum canto do país, muitos já sabiam pra quem ligar sugerindo se ele gostaria de recolher o corpo. João Galdino já chegou a percorrer grandes distâncias pra buscar corpos de animais para fazer o trabalho da taxidermia. E foi assim que ele montou um impressionante acervo localizado em Cornélio Procópio, no interior do Paraná. Lá foi fundado um Museu de História Natural, que já está pequeno para tantos animais que ele já taxidermizou ao longo dos anos.

Mas agora com essa incrível parceria entre o Parque Tecnológico da Itaipu e o Instituto Harpia de Cornélio Procópio, tivemos a honra de receber essa exposição com algumas das incríveis peças, tão detalhadamente trabalhadas pelo Professor João Galdino.

Um trabalho primoroso

 

O trabalho é tão primoroso, que há uma preocupação do Sr Galdino inclusive em como posicionar o corpo do animal quando vai fazer a “montagem” do animal. Não basta apenas “empalhar” como se fosse um ursinho ! É preciso pensar em como aquele animal se porta na natureza, como é sua postura, sua altivez, seu andar, se ele é capaz de subir em árvores ou em pedras. É preciso pensar sobre o que ele se alimenta. Até mesmo qual o tipo de árvore está no seu entorno, tudo isso é pensado para bolar todo o cenário.

Que trabalho maravilhoso !

Vocês realmente pensam em perder algo assim ? Por favor, não ! Vale tanto a visita !

Eu fui conferir essa semana e fiquei triste por ter demorado tanto pra ir conferir pois queria ter contado antes pra vocês sobre a exposição. Mas ainda é tempo ! Se você é morador de Foz ou das redondezas ou vai passear por aqui por essa época, não deixe de conferir a belíssima montagem de ecossistemas brasileiros que foram montados no local.

Eu curti demais pois realmente amo os animais, amo entender as relações da natureza. Nunca curti muito estudar geografia, mas gosto de entender as coisas e ali você consegue receber pinceladas de informações sobre os ecossistemas de forma lúdica, gostosa de entender.

 

 

O mais legal é que são tantas as formas de você explorar o ambiente pra aprender mais os ecossistemais, que parte de você o seu interesse em interagir com os dispositivos tecnológicos disponíveis que te permitem ver mais e aprender mais. Eu amei explorar tudo !

Você pode aprender mais sobre cada bioma, um pouco de cada região, um pouco da vegetação, do clima, dos animais, de uma forma gostosa. Mas se você não curte muito esse lance todo de bacia hidrográfica, não se preocupe, você certamente se esbaldará apenas passeando pelos cenários e explorando os cenários de animais.

Em cada bioma tem também tablets onde você pode correr pela tela e localizar cada um dos animais que tem naquele cenário e assim acessar mais informações sobre aquele animal, sobre seus hábitos, etc. Simplesmente MARAVILHOSO.

 

 

É incrível para adultos e certamente será mais incrível ainda para levar as crianças.

Se você não se convenceu ainda que pode se interessar em ver os cenários dos ecossistemas, mas tem crianças por casa, acredite …. ela certamente ficará fascinada ao ver um crocodilo de verdade empalhado a sua frente e enorme ! Um tigre gigante que será maior que ela, então ? Certamente as crianças vibram. Ver os ovinhos das aves, o tatu em várias formas, bichos tão esquisitos para eles como o tamanduá, ou alguns animais que são tão pequeninos que parecem de brinquedo …. é uma experiência incrível para os pimpolhos.

Como podem ver eu realmente fiquei fascinada pela experiência. Não apenas pela beleza dos animais, pelo detalhamento do trabalho do Sr Galdino, ver as presas dos animais tão de perto, tão perfeitas, as plumagens, tudo, absolutamente tudo encantador.

E se não bastasse isso há ainda no final da exposição duas estações incríveis de interação tecnológica que achei bárbaras.

Uma é um cenário topográfico do estado do Paraná que apresenta várias simulações e projeções que te permitem explorar vários aspectos relativos a região. E outra é uma estação onde você explora a floresta através de óculos de realidade virtual. Pra quem nunca teve a experiência de vivenciar a realidade virtual, é uma ótima oportunidade.

Também queria deixar um super elogio para todos, absolutamente todos os funcionários que estavam atendendo no dia que fui. Desde a recepção, os guias lá dentro, enfim, absolutamente todos uns amados e super prestativos. Show de bola !

Essa é a dica da vez então para quem é de Foz do Iguaçu e região e para os turistas que visitam nossa cidade também.

E lembrando que moradores das cidades lindeiras tem descontos no ingresso. Basta apresentar título de eleitor ou algum comprovante de residência atualizado.

Bom passeio !

Pra saber muito mais sobre o passeio, você pode acessar o vídeo que fiz no youtube contando cada detalhe da Exposição Itaipu Natureza. Confiram lá !

Até mais !

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Paty Martinez no Youtube

Carregando...