DICAS DE FOZ

O Canal da Piracema

14.10.2020

0
0
0
0
0
0

Resolvi falar sobre o Canal da Piracema pois muitas pessoas acabam visitando a Itaipu, passam próximas do Canal da Piracema, ouvem por cima sobre sua finalidade mas sem entender bem qual a dimensão da importância que este Canal tem não só pra Foz do Iguaçu mas pra toda biodiversidade da bacia hidrográfica que envolve o Rio Paraná.

O Canal da Piracema fica dentro do Complexo da Itaipu e foi construído já na época da construção da Usina Hidrelétrica para auxiliar o sistema biológico local a seguir se desenvolvendo o mais próximo da normalidade possível e para diminuir os impactos que a barragem trouxe para o rio e os peixes que lá vivem.

 

Mas o que é a Piracema

 

Antes de entender o que é o Canal da Piracema é fundamental entender o que é a Piracema. Pois é por causa dela que o Canal da Piracema existe.

A piracema é a época de reprodução dos peixes. Quando chega esse período, entre novembro e fevereiro, os peixes saem em busca no rio de um lugar adequado para se reproduzirem e pôr seus ovos. E esse lugar não é assim tão fácil de ser encontrado, mas os peixes já sabem instintamente o caminho a ser feito: subir o rio.

O rio abaixo, com correnteza, torna a água pouco oxigenada, devido aos movimentos revoltos das águas. Além de ter pouco oxigênio pros seus filhotes, essa água mais abaixo do rio também costuma ser bem mais límpida e isso facilita a ação dos predadores.

Então para driblar isso os peixes buscam um lugar mais seguro e oxigenado para os seus filhotes nascerem. Assim eles fazem um movimento de luta contra a correnteza e sobem rio acima, procurando por águas mais calmas e turvas pra depositar seus ovos.

 

 

Como a construção de uma Usina interfere na Piracema ?

 

Oras, se os peixes precisam procurar um ponto mais alto do rio pra depositar os seus ovos, até lá é importante que todo o curso do rio esteja perfeitamente intacto para que ele possa nadar até esse lugar mais seguro para os bebês peixes.

No entanto uma Usina Hidrelétrica constitui num ponto de interrupção do fluxo do rio. A barragem fica no meio do rio, impedindo a passagem natural das águas e com toda uma estrutura que impede o refluxo dos peixes contra a correnteza.

 

 

Isso sem falar na própria interrupção do rio enquanto a barragem está sendo construída. Na verdade o curso é alterado, até finalizarem as obras. No caso da Itaipu esta interrupção do curso natural do rio aconteceu em 1978 e as comportas da Itaipu foram fechadas em 1982. O Rio Paraná, imensamente caudaloso, não poderia perder seus peixes para a obra do homem.

E assim o curso do rio teve parte alterado para que as águas pudessem continuar fluindo. Mas depois das comportas fechadas, ainda era necessário criar uma alternativa para que os peixes pudessem subir o rio.

E assim nasceu o CANAL DA PIRACEMA. Uma “passagem secreta” que serve de via alternativa para que os peixes driblem todo o concreto da Usina de Itaipu e possam chegar na parte de cima do rio e seguir seu curso em busca do local adequado para se reproduzirem.

 

COMO É O CANAL DA PIRACEMA

 

O Canal da Piracema tem 10 km de extensão. Desses, 4 km são de curso construído artificialmente e os outros 6 km são um trecho do próprio Rio Bela Vista, um afluente do Rio Paraná.

Ele foi construído de forma a proporcionar ao máximo as similaridades com as condições que os peixes encontravam quando subiam o rio original. Assim, o canal é feito tentando reproduzir o mesmo ambiente em volume de água a ser vencida, a correnteza ideal, pontos de descanso para os peixes (sim, nessa jornada subindo o rio é necessário descansar).

Na vida natural os peixes não vencem apenas 10 km para chegar no seu destino final. Na verdade eles já vem subindo  o rio há bastante tempo e terão ainda mais um percurso até onde depositarão seus ovos. Esses 10 km são apenas o ponto de intervenção do homem para que seja possível a migração dos peixes para um ponto acima da barragem.

Essa intervenção realizada no Canal da Piracema foi muito importante para o novo fluxo que o Rio Bela Vista passou a receber pudesse ser comportado pelas margens do rio.

Para vocês terem uma ideia, o desnível de água entre o ponto abaixo do Canal da Piracema no Parque da Piracema até chegar no ponto mais alto atinge 120 metros de desnível.

 

MAS POR QUE NÃO FIZERAM UM CANAL MAIS CALMO PARA OS PEIXES SUBIREM ?

 

Um ponto importante na construção do Canal da Piracema é que ele pudesse simular as condições naturais que os peixes normalmente encontram em termos de volume de água e correnteza a ser vencida.

Isso porque a inteligência biológica é increvelmente bela e pede que mesmo os mais difíceis obstáculos continuem fazendo parte da vida desses peixes para que eles possam ter uma vida realmente plena como sempre tiveram.

E olha que interessante: essa correnteza enfrentada pelos peixes é fundamental para estimular o amadurecimento sexual dos peixes. Quando eles vencem essas distâncias e essa água que corre ao contrário, há um gasto energético e queima de gordura acima do normal.

Essa queima de gordura estimula a produção de hormônios específicos da reprodução dos peixes. Ou seja, se o canal fosse tranquilo e calmo, isso não ocorreria.

E as pedras que foram instaladas ao longo das margens do canal tem dupla função: elas desaceleram o rio (para que a correnteza também não seja excessiva) e elas também servem de pontos de descanso para os peixes.

 

SUCESSO NA EXPERIÊNCIA

 

A experiência da construção do Canal da Piracema no Complexo de Itaipu foi tão exitosa que já foi copiada em outros hidrelétricas construídas posteriormente.

Mas o Canal da Piracema continua sendo o maior sistema de transposição de peixes já construído no mundo.

O Canal também serve de pesquisa para diversas instituições, entre elas várias importantes universidades que ali estudam a biodiversidade dos peixes.

Nestas pesquisas já se detectou como a distribuição dos ovos e peixes na região consolida a área do Canal da Piracema como importante área para estimular o desenvolvimento das espécies nativas da região. Já são quase 20 anos de estudos acerca da reprodução dos peixes e seus berçarios.

Uma das maneiras que a Itaipu encontrou para acompanhar a passagem dos peixes pela região foi através da identificação de peixes e uso da telemetria. Os peixes são retirados da água, tem um sensor inserido em suas barrigas e então voltam para o rio.

 

O pescador Matheus Andrade Frascuette recapturou uma piapara (Fonte: Jornal de Itaipu Eletrônico)

 

 

A partir de sensores de telemetria espalhados pelo Canal, é possível saber toda vez que aquele peixe sobe o rio para reproduzir. Já foram marcados milhares de peixes pela Itaipu e seus apoiadores em pesquisa.

Nesta observação é possível conhecer as espécies migratórias que estão utilizando o canal de transposição de peixes da Piracema. Desde 2009 é feito esse monitoramento eletrônico das diferentes espécies.

Desde então já foram registrados 186 espécies passando pelo Canal da Piracema.

 

Canais de Transposição no Mundo

 

Os sistemas de transposição de peixes não foram criados pela Itaipu. Eles já existem há bastante tempo e são utilizados amplamente em vários locais.

No Brasil em específico sabe-se de pelo menos 50 mecanismos construídos especificamente para auxiliar na transposição de peixes através de barragens. No mundo todo estima-se em 12 mil o número de passagens de peixes já construídos.

A diferença destes para o Canal da Piracema é o porte. Como já mencionado o Canal da Piracema é considerado o maior sistema de transposição de peixes de todo o mundo.

 

Canal da Piracema e Práticas Desportivas

 

Um outro diferencial do Canal da Piracema é que no seu projeto foi implementado também um trecho específico para permitir a prática desportiva no canal.

Cerca de 430 metros constituem o chamado Canal de Itaipu, trajeto específico para prática de canoagem. O Canal itaipu foi inaugurado em 2005 e desde então tem sido um importante palco de treinamento e competições na área de canoagem.

Neste Canal já aconteceram alguns importantes campeonatos e competições esportivas de canoagem. Atualmente também é ali a área de treino de atletas profissionais bem como de meninos e meninas que um dia sonham em se tornar profissionais da área da canoagem.

Um importante projeto desenvolvido ali é o “Meninos do Lago”, que engloba o treinamento de crianças desde cedo na prática de canoagem. Muitos garotos vindos do Meninos do Lago acabaram se tornando importantes competidores nacionais no esporte.

Isso sem falar nos grandes benefícios que este projeto faz ao levar a prática esportiva para muitas crianças que jamais teriam oportunidades de acessar este esporte se não fosse pelo projeto.

 

Fonte: google images

 

Além do aspecto esportivo, físico, há grandes benefícios no desenvolvimento mental, intelectual e pessoal dos Meninos do Lago por conta da inclusão deles num projeto que se preocupa não apenas com as questões desportivas relacionadas a canoagem mas com as questões sociais envolvidas.

 

Acesso ao Canal da Piracema

 

Infelizmente não é possível para os visitantes comuns ou turistas visitarem a área do Canal da Piracema. Somente atletas podem acessar essa área, além das pessoas envolvidas no projeto Meninos do Lago, e é claro os funcionários que trabalham naquela área.

Fora isso existem duas maneiras de visitar o local. Ou através de visitas técnicas, no caso de visitas vinculadas a alguma organização ou universidade por exemplo. Ou quando acontecem Campeonatos no local, pois aí sim a área fica aberta para a população desfrutar das competições.

E aí, gostou de conhecer mais sobre o Canal da Piracema e a sua grande importância para o meio ambiente ?

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Paty Martinez no Youtube

Carregando...